lactobacilos

Os lactobacilos, ou Lactobacillus, são um gênero de bactérias gram-positivas com formato de bastonete (cilíndrico) e que não produzem esporos, isolados pela primeira vez em 1900, das fezes de bebês alimentados com leite materno, pelo pediatra austríaco Ernest Moro.

 

O gênero Lactobacillus compreende 56 espécies capazes de fermentar carboidratos (açúcares) para produzir ácido lático – razão pela qual é muito usado na produção de alimentos – e é encontrado na flora bacteriana de todo o trato gastrintestinal e geniturinário de homens e animais. A espécie mais comum, e primeira a ser estudada, é o Lactobacillus acidophilus [1,3,4,8].

 

Junto com as bifidobactérias, os lactobacilos começam a colonizar nossos intestinos nos primeiros dias de vida, e lá vão desempenhar funções benéficas ao organismo, como produção e absorção de nutrientes essenciais, estímulo e regulação do sistema imunológico, bem como a manutenção da integridade da mucosa intestinal e degradação de fibras insolúveis, além de prevenir a proliferação de microrganismos patogênicos.

Lactobacillus sake: 1.2 microns

 

 

Informações adicionais

 

Aproximadamente 500 espécies diferentes de bactérias podem ser encontradas ao longo do tubo digestivo, sendo que a maior parte delas está concentrada no intestino grosso (cólon), onde o número de células bacterianas pode chegar aos trilhões [8]. A flora bacteriana é considerada equilibrada e saudável quando há predominância de lactobacilos e bifidobactérias. Aproximadamente aos 2 anos de idade, a nossa flora intestinal já está estabelecida, e irá manter-se estável por toda a vida [5,6]. O aleitamento materno é muito importante, pois determinadas espécies de lactobacilos são encontradas no leite humano, e crianças que amamentam exclusivamente no peito apresentam quantidades de lactobacilos e de bifidobactérias superiores às quantidades dessas bactérias encontradas nas fezes de crianças alimentadas com a associação entre leite materno e fórmulas.

Lactobacillus sp - ampliação 1000x

 

A etapa inicial da digestão dos alimentos ocorre na boca e é muito importante para o sucesso de todo o processo. Os dentes vão moer e triturar os pedaços grandes de alimentos que mastigamos, transformando-os em partículas menores, capazes de receber a ação da amilase (ou ptialina), uma enzima encontrada na saliva que inicia a digestão dos carboidratos. A saliva também serve para umedecer e lubrificar os alimentos transformando-os no bolo alimentar.

 

 

 

 

 

Cora Castro

 

 

Para ler o texto completo visite nossa página para desktop